segunda-feira, 30 de julho de 2012

Big Bang: Quando os astrônomos descobrem o que a Bíblia revela !



                      A maioria dos tratados científicos sobre cosmologia dão crédito à Arno Penzias e Robert Wilson, sobre a descoberta de que o Universo surgiu de uma grande explosão conhecida como Big Bang. Embora seja verdade de que eles foram os primeiros à descobrir  a radiação deixada pelo evento da criação do Universo (1965), eles não foram os primeiros a reconhecer que o Universo sofreu uma expansão, partindo de um estado quente e compacto.

                   Em 1946, George Gamow calculou que o Universo está em expansão. Em 1929, Edwin Hubble estabeleceu a velocidade das galáxias, como resultado de uma grande explosão. Quase na mesma época, Abbé Georges Lemaître, um padre jesuíta foi o primeiro a promover o Big Bang como o evento descrito na Bíblia: Haja Luz !

                   A primeira evidência científica para um Big Bang vem de 1916, quando Einstein observou que suas equações apontavam para um universo em expansão. Mesmo assim, ele se recusou a aceitar o princípio implicito e preferiu com o senso comum na época de que o Universo era eterno.

                   Todos estes cientistas estavam ultrapassados quase 2500 anos, pelos escritores bíblicos. Profetas e apóstolos, que não entendiam de astronomia, repetidamente escreveram sobre os fundamentos do Big Bang, ao afirmarem sobre uma criação, de um tempo finito e um universo passando por uma expansão.

                   Em Isaías 42:5 diz: “Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus e os estendeu...” Ou seja, Deus criou o Universo e o estendeu... expandiu !!!

                   O Hebraico traduz a expressão “criou” de Isaías 42:5 como “barah”, que tem como sentido “trazer a existência algo novo, que partiu do nada..” Esta mesma palavra(bara´) é citada sete vezes no A.T. (Gênesis 1:1; 2:3; 2:4; Salmo 148:5, Isaías 40:26; 42:5; 45:18).

                     Hebreus 11:3 reforça isto quando diz: “Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.” Ou seja, aquilo que é visto é detectado, foi feito daquilo que não é visto. Moléculas !!!

                   A Bíblia afirma que Deus é o agente pré-existente responsável pela criação do Universo. Deus antecede ao Universo e participou ativamente de sua criação. Em Colossenses 1,assim como em Provérbios 8:22-31, João 17:24; Efésios 1:4, 2 Timóteo 1:9; Tito 1:2 e 1 Pedro 1:20, são textos que nos afirmam sobre isto.

                      Diversos versículos relatam a palavra “esticado” ao se referir aos Céus. Jó 9:8; Salmo 104:2, Isaías 40:22; 42:5; 44:24; 45:12; 48:13; 51:13, Jeremias 10:12 e 51:15

                      É impressionante que estes onze versos usam formas verbais diferentes para descrever o alongamento dos céus. Sete versículos, Jó 9:08, Salmo 104:2, Isaías 40:22; 42:5; 44:24; 51:13, e Zacarias 12:1 empregam a forma de particípio ativo do verbo Qal Natah. Esta forma literalmente significa "curso continuo, alongamento" (os céus). Quatro versos, Isaías 45:12; 48:13 e Jeremias 10:12; 51:15 use o tempo perfeito Qal.

                      Assim, segundo a Bíblia, o alongamento dos céus é tanto “acabado” como “permanente”, conforme Is. 40:22 (“E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar.”)  aonde encontramos os dois verbos usados de formas diferentes. A palavra “Estende” é o verbo Natah no particípio ativa Qal. Na parte final, a palavra “desenrola” é mathah na forma de waw é um Qal Imperfeito, que traduzido literalmente daria “espalhou para fora”.

                  Além de declarar notoriamente a circunferência terrestre, Isaías diz que Deus estendeu os céus e constantemente exerce seu poder denserolando o Universo. O primeiro no ato completo e o segundo no tempo contínuo.

                    Qual princípio da cosmologia é parecido com a declaração bíblica? Resposta: Big Bang ! Pois apenas o Big Bang defende que toda a criação física foram criadas instantaneamente e que terminou, permitindo uma expansão contínua do Universo.

                      Finalizando, a Bíblia além de defender o Big Bang, afirma que  as leis da termodinâmica, gravidade e eletromagtismo agiram durante toda a criação.