sexta-feira, 7 de junho de 2013

Estaremos nós no último Século?



Uma crítica ao artigo “Is this Our final century?” da Astronomy de Julho de 2013

                 Uma das mais conceituadas revistas de astronomia do Mundo – A Astronomy Magazine, trás no mês de Julho o artigo do Astrônomo Real Martin Rees.
               Citando H. G. Wells, em seu livro The Time Machine, ele diz: “Este século Será de tantas mudanças na humanidade, que o fará o último século da história”. Entretanto, Wells não estava falando do século XXI, pois escreveu estas palavras em 1902 !
                Afirmando que estamos na era Anthropoceno, o autor do artigo publicado na Astronomy, discorre sobre os riscos que corremos de uma destruição em massa eminente no Planeta. Fala da manipulação biológica, das máquinas criadas pelo homem, de novas doenças, mas é enfático na área da astronomia. Listando desde risco de Raios Gama até a ocorrência de uma CME, Ress dá a entender que seu maior medo é mesmo com um choque de um asteróide com a Terra.
                Infelizmente, como o grande maioria dos astrônomo, Ress é evolucionista. Afirma que após nossa quase extinção, a raça humana passará por uma nova evolução, sem explicar o como.
                Minha crítica: Muito longe da teoria evolucionista, creio que o fim da vida na Terra não está distante. Porém, minhas razões para pensar assim vão além da ciência, e se unem às profecias bíblicas.
                 Céticos, ateus e gnósticos são céleres em criticar tal posicionamento, alegando que a Bíblia não passa de um livro como outro qualquer. Entretanto, qualquer pessoa que goste de leitura e faça uma boa pesquisa, irá descobrir que determinadas conclusões cientificas são recentes e, que não podiam passar pela cabeça de pessoas de tempos antigos.
                  Explicar como João, o autor do livro de Apocalipse, relata com precisão a queda de “um monte ardendo em fogo” causando “efeito estufa” e um “tsumani” é algo que os críticos da fé não conseguem fazer!
                  A Teoria da extinção dos dinossauros pelo impacto de um corpo celeste só foi proposta na década de 80 !
                   A dificuldade de associar a ciência com a fé só está na cabeça de quem não vê as evidências. Estamos vivenciando uma era sem precedentes, acompanhando as pesquisas espaciais, a frustração por busca de vida extraterrestre inteligente e o alerta constante com o Sol e os objetos próximos da Terra (os conhecidos NEO`s).
                    Infelizmente, ainda que cientistas creiam que estamos às vésperas do final, muitos ainda não se dobram diante do Criador.
                    A Vida na Terra passará pelo cataclisma, porém são prometidos “novos céus e uma nova Terra”. Diante da imensidão do Universo, e das complexidades inerentes à nossa forma de vida, podemos ter a certeza de que o Criador tem um Planeta ao redor de alguma estrela, aguardando para os remanescentes do apocalipse. 
                         
               “E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.” Ap. 21:1