sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Falling in Love versus Failing in Love


“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.”1 Coríntios 13:13

Paulo, aos escrever aos Coríntios, faz um tratado sobre o amor. O faz diante de uma igreja carnal, que necessita crescer espiritualmente e sentimentalmente. Uma igreja tão dura, que alguns teólogos chegam à afirmar que seriam 3 cartas dirigidas à ela, sendo que a “carta áspera” teria se extraviado e não veio à fazer parte do Canon Bíblico.

Igreja que não ama é uma contradição, pois Deus é Amor, e por amor nos enviou Seu único filho (Jo. 3:16)

A exemplo de Corinto, uma igreja pode se preocupar com a teoria e se esquecer da prática. Preocupa-se com os dons, com o conhecimento e falha na demostração prática do amor.

Paulo enfatiza no capítulo 12 de Romanos, alertando: “...não sejais vagarosos no cuidado... acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade... sede unânimes entre vós...”, entre outras práticas.

Não me espanto quando tenho notícias de igrejas estagnadas ou que fecharam suas portas. Alguns eu conheço, outras ouvi falar. E mesmo não estando por perto de algumas delas, sei que o denominador comum é a falta de amor.

A falta de amor gera aquele velho jargão: “Vou orar por você”, mas ninguém diz: “Vou ficar apenas na oração, afinal deixa Deus resolver o seu caso sozinho”. A demora interminável de pautas “sob à mesa” na espera da sessão administrativa do próximo mês, enquanto a necessidade é premente, e muitas vezes não pode esperar...

Tiago nos diz: “Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e nào lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.” Tiago 2:14-17

Em diversas partes da Bíblia, vemos Deus agindo por conta própria, enviando Anjos e fazendo milagres para suprir necessidades de seus servos. Porém, também é verdade que lemos outras inúmeras vezes, o mesmo Deus usando pessoas para abençoar outras pessoas. “Entretanto, fizestes bem em participar da minha aflição.  Sabeis, ó filipenses, que, durante os vossos primeiros dias no Evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja compartilhou comigo no que se refere a dar e receber, exceto vós...” Paulo aos Fil. 4:14-15

Certa vez ouvi o Pr.Rick Warren fazer uma declaração, daquelas que você já sabe, mas precisa aparecer alguém para enfatiza-la. Ele afirmou: “Igrejas que amam crescem, Igrejas que crescem amam!”

Eu usei os termos ”Falling in Love” e “Failing in Love” emprestado do inglês como um trocadilho. São sonoricamente parecidas, mas distintas em seu significado. Falling in Love significa em português – “Caindo, morrendo de Amor”. Já “Failing in Love” significa “Falhando em amor”.

Jesus, nosso exemplo de amor,disse:Ninguém tem maior amor do que aquele que  a sua vida por seus amigos.” Jo. 15:13 Ou seja, espera-se que a vida de uma igreja seja Amar à Deus e ao próximo. Ser apaixonada por fazer a Obra de Deus.

No Apocalipse encontramos uma séria advertência à Igreja de Efeso, a igreja que perdeu o amor(Apoc.2:1-7).


Neste mundo atual, quando muitos cristãos estão preocupados em julgar a doutrina alheia e se esquecem de amar ao pecador através do evangelismo, é tempo de reaprender o significado prático da palavra amor. Sua Igreja é apaixonada pelo Noivo ou está falhando nesta tarefa ?